Crônica de um lindo dia rubro-negro

“Todo mundo nasce Flamengo, só que alguns degeneram”, ouvi repetidas vezes meu Tio Saulo dizer quando era garoto. Foi por isso que nasci Flamengo e achei mesmo que todo o resto do mundo torcesse pelo Mengo. Quando pelas mãos do Tio Jessé estreei num estádio, lá no gramado desfilavam Leandro, Júnior, Adílio, Andrade, Nunes, Lico, Zico e Tita. Era uma orquestra, claro que todo mundo tinha mesmo que ser Flamengo. Nem mesmo as tardes de domingo, os gols do Dinamite e os gritos de gol do Tio Ananias me faziam mudar de idéia. Só dava Flamengo. Coitado do Dinamite, coitado do Tio Ananias. Coitados dos que não torciam pro gigante rubro-negro. Mesmo não sendo tanta gente, já que afinal poucos ousavam ser diferentes.Era nisso que eu acreditava e daí só pensava: aqueles que “degeneraram” por um tempo, nem vão virar casaca, nasceram Flamengo, tem uma bela desculpa pra voltar. Se foi uma vez Flamengo, era pra sempre Flamengo.

Ele sempre foi mesmo o mais cotado, o mais amado, o que dava mesmo prazer de ver brilhar. Em cada canto desse Brasilzão, time da casa sempre foi o Mengão. Flamengo é povo, é paixão, é amor profundo, é de todo mundo. Se não existisse, seria mesmo um desgosto profundo. Como é bom ter o meu Mengo no mundo, no campo e nos belos versos de Lamartine Babo, nos Fla-Flus e em seus “ái-jesus”.

E nesse ensolarado domingo de 06 de dezembro, fui com meu amigo Toninho pro Maracanã, pra torcer de verdade pro time que sempre fui fã. Um belo domingo que amanheceu rubro-negro no país inteiro e especialmente no Rio de Janeiro. Paramos para tomar um chopp em Copacabana, mas foi só desculpa pra assistir aquele prenúncio de carnaval, apreciar o desfile vermelho e preto que tomou conta da orla da cidade maravilhosa. Era dia de espetáculo, um belo dia pra colocar pra fora o grito de campeão preso na garganta. E como jamais ousaria desafiar o samba, nem quis saber da numerada. Corri pra arquibancada, onde sempre dá pra sentir mais emoção! Tantas bandeiras, tantos balões, tanta energia, a maior torcida do mundo só podia mesmo dar show de harmonia. Mãos para o alto se sacodem e o conhecido, cadenciado e mundialmente repetido som de “Mengooo” ecoa em sintonia. É o balé da maior torcida, da maior paixão, no maior palco do mundo. Era tarde pra vencer, vencer, vencer. Tarde que confirmava que uma vez Flamengo, é Flamengo mesmo até morrer!

Vem pro campo mengão, explode Maraca! Pula, chora, grita, xinga, cobra, canta! Avante Mengão, raça Mengão, vai… me maltrata, me arrebata de tanta emoção. E que emoção! Vai com fé Andrade, mestre da humildade nas palavras e “arrogantemente” eficiente para os assunto da bola. Só mesmo quem faz parte dessa nação coberta pelo tradicional manto sagrado sabe: não pode ser fácil, nunca é fácil. Tem que ter emoção, tem que ser na luta, com fibra, enquanto a torcida vibra. E quando não há um imperador atento ou inspiração num craque sérvio marrento, lá vem um anjo rubro-negro que nunca deixa de estar por perto. E foi assim, com um gol do cearense Angelim, que o Maraca tremeu, que o Brasil gritou gol, que todo coração rubro-negro de nascença vibrou. Foi a hora que um exército de “degenerados” sentiu um nó na garganta, um arrepio no peito, uma sensação de ser tum pouco dono daquele caneco. Todo mundo teria orgulho de fazer parte daquela galera.

Ao som do apito final, mesmo em meio à emoção de uma alegria sem igual, eu olhei pro meu lado e fui abraçar um “tio” que assistiu o jogo amparado por um par de muletas e que agora chorava como uma criança. Dei-lhe um abraço, prontamente retribuído e que de lambuja trouxe as palavras que repetidamente davam o sentimento daquela tarde: “Nós somos campeões cara, o Flamengo é campeão cara, isso é lindo cara, isso é lindo”.

É meu novo amigo, que lindo esse Flamengo, que linda essa torcida, que lindo esse Maraca, como isso é lindo, que lindo dia pra um coração rubro-negro.

Anúncios

7 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Geisi
    dez 10, 2009 @ 11:06:25

    Aieeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee! Chorei! Ai Tio Lelo! Tu é o cara mesmo hein!!!! Emocionante!!!!

    Responder

  2. Karina
    dez 10, 2009 @ 13:33:30

    Que inspirador, Moria! Demais!!! Sou Real Madrid, mas fiquei emocionada mesmo assim 🙂

    Responder

  3. Carol
    dez 10, 2009 @ 15:03:49

    Que lindoooo!! Assim como a G também chorei e olha que ela já tinha me alertado pra isso.
    Mas torcer pro Mengão é assim mesmo, é amor, é paixão… não tem comparação. Aos degenerados… um “sinto muito”.

    Responder

  4. Rogério Pereira
    dez 10, 2009 @ 15:51:08

    Uma bela declaração de amor ao time do coração. Se quiser postar do naotemduasconversas.wordpress.com fique a vontade.

    Responder

  5. paulo henrique
    ago 16, 2010 @ 07:27:51

    “a cada gol do flamengo eu me sentia um vencedor!”
    minha maior paixão, vamos Flamengo…
    só o Flamengo pra provocar um depoimento como aquele agradecimento do Mozer que tá no youtube, né
    abs

    Responder

  6. eduardo
    ago 30, 2010 @ 12:21:41

    esse foi o texto mas bonito que eu ja li estou chorando eu amo muito o mengão é o melhor time do brasil

    Responder

  7. Bruno Nigro
    fev 04, 2011 @ 11:00:52

    Pô, malandro! A gente tava praticamente no mesmo lugar no (saudoso) Maracanã nesse dia irado do Hexa! Sufoco e perrengue pra entrar com minha mulher, mas conseguimos e foi o primeiro título que ela viu no estádio. Especialíssimo! Espero que em 2011 a gente repita a dose, mesmo que seja no Vazião! hahahaha

    Abraço! SRN

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: