Steve Jobs nunca vai morrer

O cara simplesmente foi um dos inventores do computador pessoal. Poderia ter sido só isso pra ter entrado para a história.

Mas não.. mudou a forma de como ouvimos música e, não satisfeito, mudou a forma de como atualmente compramos música. Revolucionou a indústria da telefonia e fez o mundo inteiro deslizar o dedo pelas telas dos seus celulares, iPhones ou não. iPods, iMacs, Macbooks fora, foi dele a empresa que mudou a forma de fazer desenho animado, que nos contou gdes histórias e ainda tornou Woody, Buzz Lightyear e Nemo moradores de nossas casas.

Passou por cima do orgulho e tornou uma empresa falida na mais valiosa do mundo. Foi na época em q o mundo dos computadores só pensava bege… e ele pensou colorido, mudando tudo de novo. Entre tantas revoluções, foi assim q sua vida e sua luta contra a morte o fizeram dono de um dos discursos mais inspiradores da história. Assistido, lido, comentado por milhões. Um hino inspirador.

Ele conseguiu ser um ícone de respeito ao consumidor, sempre entregando mais que a nossa expectativa conseguia imaginar. E sempre surpreendeu. Diz, o que falar de um cara que bolava ele mesmo as caixas dos produtos que amamos, que o mundo inteiro ama… Quem tem sabe o que é a experiência de abrir o seu Apple novinho, seja qual for. iQualquer coisa é sinônimo de qualidade, perfeição, design, desejo, inspiração, satisfação.

É… Steve Jobs um dia resolveu mudar o mundo e conseguiu.

Transformou uma marca em religião, em uma filosofia de vida. E hoje, 5 de outubro de 2011, o cara foi descansar e nos deixou com a estranha sensação de ter perdido um parente próximo. Um amigo, com o qual convivemos todos os dias.

Por isso, prefiro acreditar que um cara como ele, com essa história e esse legado, nunca vai morrer de verdade.

#RIPSteveJobs

Anúncios

Era uma vez uma câmera…

A campanha política 2.0 do Barack Obama

obama_001.jpg

O político 2.0. Esse é o título do artigo que acabo de escrever sobre a campanha americana e que está publicado tanto no site da Knowtec quanto no Webinsider.  

 

Fala um pouco sobre a belíssima campanha do Obama utilizando recursos modernos, uma linguagem diferente e uma abordagem que sacode a campanha. Leia e comente!  

 

 

O dia em que todos os notebooks do mundo engordaram de uma vez…

Primeiro, assista o vídeo:

 

 

 

 

Agora, vamos combinar: Eis aí mais um lançamento da galera do sr. Steve Jobs pra chacoalhar a cabeça de muita gente. Quero ver quem se atreve a chamar o seu velho notebook de “fininho” agora. 

 

Mas o melhor disso não tem haver necessariamente com a máquina em si. E sim com as mudanças que a Apple provoca num mercado inteiro. Como foi com os iMacs, com os iPods, com o iPhone. 

 

Como quando foi lançado o primeiro iBook, branquinho, pequeno, leve… mistura de iPod com notebook. Alguém tinha visto antes algum note PC que não fosse preto ou cinza e quadradão? Lembram dos iMac coloridos? A campanha perguntava exatamente isso: “Alguma vez te perguntaram qual sua cor preferida e vc respondeu.. bege??”. Nem preciso falar do iPhone, né? Quem dá uma mexida nele por 5 minutos nunca olha de novo pro próprio celular do mesmo jeito.

 

Esse é o lance da Apple na minha humilde opinião. Ela já sabe que não vai ser o mais vendido, não vai mudar o mapa de vendas do mundo. Mas vai continuar sendo o mais desejado porque faz exatamente aquilo que corresponde ao desejo e ao sonho dos usuários. E bem feito, surpreendendo sempre. As demais fabricantes de PC que se matem pensando numa forma de mais uma vez mudar seus produtos e copiar o estilo Apple de ser. 

 

Enfim, o que dizer do Mac Book Air? Só me resta sair anunciando: 

 

Atenção, atenção, alô, alô!!!  Vendo o meu Mac Book “gordinho”… quem vai quereeeeeer… olha aê… mulher bonita não paga mas tb não leva… tá acabando…  tá na promô… precinho de amigo hein…